Será que a comunicação não verbal é assim tão importante?2020-07-09T09:34:27+00:00

Project Description

Será que a comunicação não verbal é assim tão importante?

9 Setembro, 2020

A comunicação não verbal é a panóplia de mensagens que transmitimos consciente ou inconscientemente e que são compostas por gestos, postura, olhares, mas, também, pelas roupas ou acessórios que utilizamos.

A comunicação não verbal é muitas vezes descurada ou posta de lado e tendemos, na grande maioria dos casos, a focar a nossa atenção no nosso discurso verbal.

Por muito importante que seja aquilo que dizemos, não devemos esquecer-nos nunca de como o estamos a dizer. É, precisamente por esta razão, que importa que tenhamos em conta a nossa comunicação não verbal.

Deixamos, abaixo, 5 conselhos para melhorar a comunicação não verbal junto da sua equipa e em entrevistas.

1.Privilegie o contacto visual

Olhar nos olhos das pessoas com quem está a comunicar pode parecer um conselho elementar, mas a sua importância é, de facto, inegável.

O contacto visual demonstra interesse no que está a ser dito e indica que está, realmente, a prestar atenção ao que o outro quer transmitir, ao mesmo tempo que incute confiança, segurança e sinceridade.

2.Gesticule quanto baste

Todos nós temos tendência a gesticular enquanto falamos, mas quando esses gestos são demasiado frequentes ou repetitivos podem desviar a atenção do interlocutor da mensagem principal.

É necessário treinar a consciência corporal e perceber que gestos são demasiado frequentes e precisam de ser refreados.

Do mesmo modo, a ausência completa de gestos desumaniza a comunicação e torna-a bizarra.

É essencial procurar adaptar os gestos que fazemos ao nosso discurso, tentando que estes sejam úteis para explicar aquilo que estamos a dizer e não distraiam, pelo contrário, o público da nossa mensagem.

3. Tenha atenção à postura

Alguém que entra numa sala de cabeça erguida e coluna alongada tem tendência a ser percecionado como alguém confiante e seguro de si e isso influenciará, imediatamente, o modo como os restantes percecionarão o seu discurso. Antes mesmo de ter a oportunidade de vociferar algo, a sua postura já revelou muito acerca da sua personalidade e estado de espírito.

Se o objetivo é conquistar um potencial cliente ou parceiro, por exemplo, importa não estar curvado ou de cabeça baixa ao entrar na sala e que, ao sentar-se, procure uma posição relaxada, mas correta, que transmita calma, segurança e confiança durante a exposição das suas mensagens.

4. Reprima os tiques nervosos

Os tiques nervosos são comuns e podem ser muito difíceis de controlar, no entanto, isto pode ser crucial para que a sua mensagem seja transmitida e recebida da melhor forma.

Este é, provavelmente, o ponto que irá requerer um maior esforço e concentração da sua parte e que implicará treino e tempo para ser alterado. No entanto, garantimos que este trabalho valerá a pena!

Uma comunicação concisa, também do ponto de vista corporal, é importante para que o seu público não se distraia da mensagem central e se mantenha interessado no que está a ser dito.

Conseguir controlar estes impulsos transmitirá uma imagem segura e confiante, de menor nervosismo ou insegurança, fazendo com que os outros mais facilmente considerem aquilo que tem para lhes transmitir.

5. Evite cruzar os braços

Cruzar os braços pode parecer um gesto muito comum e bastante inofensivo, mas poderá não ser bem assim.

Estar de braços cruzados transmite a ideia de que está na defensiva e não está recetivo ao que está a ser ou poderá vir a ser dito pelos seus colaboradores ou parceiros.

Este gesto simples poderá, muito facilmente, deixar os restantes interlocutores pouco à vontade e funcionar mesmo como uma barreira física que não permite a aproximação e empatia.